segunda-feira, 25 de abril de 2011

Jovem que Estuda Música Protege Cérebro em Idade Avançada

Fonte: Folha de São Paulo - 25/04/2011 - Ciências
Endereço para o texto completo: http://www.musicaeadoracao.com.br/efeitos/corpo_mente/musica_protege_cerebro.htm

Destaques:
"A pesquisa indica que aqueles que tocaram instrumentos musicais por muitos anos parecem formar uma proteção natural contra perdas cognitivas que costumam ocorrer durante a terceira idade."

"A descoberta mostra que o funcionamento cerebral pode ser alterado e a música pode ser um assunto para considerações futuras porque envolve uma combinação de capacidades motoras, leitura, audição e ações repetitivas."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br

sábado, 23 de abril de 2011

O Transporte da Arca e a Morte de Uza

Autor: Um Comentário Judaico
Endereço para o texto completo: http://www.musicaeadoracao.com.br/artigos/meio/transporte_arca.htm

Resumo:
A morte de Uza durante a primeira tentativa de transporte da arca teria sido um mero acidente, um fato isolado? Leia este comentário judaico acerca deste fato bíblico, relatado em II Samuel 6

Destaque:
"Podemos, então, concluir que Davi entendeu que a punição divina contra Uza não resultou de uma falha isolada e única – o fato de que Uza cometeu o erro de levantar sua mão para a Arca. Davi entendeu que tinha ocorrido um problema mais amplo, com relação ao espírito com o qual ele havia tentado transportar a Arca."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br

quarta-feira, 20 de abril de 2011

"Não Me Julgue!"

Subtítulo:O Evangelho da Tolerância versus Disciplina Eclesiástica
Autor: Dr. Samuel Koranteng Pipim
Endereço para o texto completo: http://www.musicaeadoracao.com.br/diversos/nao_julgue.htm

Resumo:O evangelho da tolerância é uma tentativa do mundo para ganhar almas e mantê-las na igreja. Aqueles que acreditam neste evangelho criado sob medida afirmam que mais pessoas se unirão à igreja e permanecerão nela se, ao invés de "julgarmos as pessoas," simplesmente "as aceitemos do jeito que são." Este evangelho é pregado ainda mais alto quando um membro rebelde é levado a enfrentar a disciplina da igreja.

A base bíblica para este novo evangelho é a afirmação de Cristo em Seu Sermão da Montanha "Não julgueis, para que não sejais julgados", (Mateus 7:1). Aqueles que abraçaram o evangelho da tolerância insistem que é errado que a igreja exerça disciplina sobre qualquer pessoa. Uma vez que somente um Deus infalível (ou o Espírito Santo) pode realmente julgar alguém, os defensores do novo evangelho afirmam que aqueles que insistem em disciplinar um irmão são hipócritas ou "fariseus", pois também são pecadores, assim como aqueles que eles estão julgando.

Esse artigo analisa brevemente o evangelho da tolerância, argumentando que este evangelho é incoerente, autorrefutável e antibíblico. Além disso, o artigo lança um olhar mais atento sobre Mateus 7:1 e sobre as declarações de Ellen White que são freqüentemente citadas em apoio desta doutrina questionável.

Destaques:
"Enquanto que a tolerância cívica sustenta que todas as pessoas devem ser respeitadas e que suas opiniões devem obter uma atenção cortês, o evangelho da tolerância vai mais longe ao defender que todas as visões e práticas têm igual valor, mérito ou verdade. Tolerar ou respeitar as pessoas (tolerância cívica) é confundido com a tolerar as suas ideias e práticas (o evangelho da tolerância)."

"Contrariamente às alegações do evangelho da tolerância, a parábola de Cristo em Mateus 13:24-30 não pode ser usada para justificar a doutrina relativista do "não me julgue." Sua declaração no versículo 30: "Deixai crescer ambos [o trigo e o joio] juntos até à ceifa" não serve de sustentação para a alegação de que a Igreja não tem direito de julgar ninguém, nem de condenar suas crenças erradas e má conduta. Em vez disso, a parábola apela para que seja exercido extremo cuidado sempre que tentarmos disciplinar pessoas – para evitar que em nossa pressa cometamos erros graves."

"Mas, ao contrário do testemunho irrefutável da Escritura, o evangelho da tolerância "não me julgue" nos ensina a não estabelecer limites entre idéias e práticas certas e erradas. Ele nos convida a não discriminar ou tentar pesar o valor de diferentes crenças e estilos de vida. Porém, como podemos ser salvos se não discernirmos entre o bem e o mal, o certo e o errado? A falha em exercer este poder de julgamento pode ser não apenas espiritualmente fatal, mas podemos levar outros a se perderem também. É por isso que a Escritura nos diz para examinarmos tudo cuidadosamente e retermos o que é bom, abstendo-nos de toda forma de mal (I Tessalonicenses 5:21-22)."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br/

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Ellen G. White e o uso da bateria na adoração

No início de 2009 circulou pela internet um artigo intitulado “Ellen White Era Contra a Bateria na Música Sacra?” Neste documento o articulista André Reis argumenta que não seria correto, do ponto de vista exegético, utilizar os escritos de Ellen G. White para embasar uma postura de oposição ao uso da bateria e outros instrumentos de percussão no culto Adventista.

O foco central do artigo se concentra no texto do livro Mensagens Escolhidas, vol. 2, páginas 31 a 39, na qual a serva do Senhor trata do episódio ocorrido em uma reunião campal em Indiana. Dado ao teor de seu conteúdo, tal artigo promoveu certo grau de confusão e dividiu opiniões entre muitos membros de nossa Igreja. Sendo assim, esse assunto foi objeto de um aprofundamento para a obtenção de uma resposta mais abalizada sobre o referido tema.

Desta forma, segue abaixo o link que apresenta uma resposta equilibrada e fundamentada nos parâmetros e princípios dos escritos do Espírito de Profecia pelos editores e colaboradores do site Música Sacra e Adoração. A intenção do Centro White - Brasil é que tal matéria possa servir como um instrumento de clarificação e elucidação quanto a um tema que vem se revelando cada vez mais polêmico entre os Adventistas do Sétimo Dia.

1. Artigo de André Reis

2. Resposta ao artigo


Materiais Suplementares sobre Ellen White e a Música Sacra

A seguir, o Centro White – Brasil apresenta a toda comunidade de membros da IASD alguns materiais suplementares que serão úteis para uma mais apurada compreensão sobre o tema da Música Sacra.

1. Artigo – Louve a Deus em Cântico

2. Teste sobre a natureza da música sacra segundo EGW

Para visualizar os documentos deste artigo, é necessário instalar o Adobe Reader. Clique aqui e faça o download gratuito.



Que Deus nos abençoe e nos oriente quanto à compreensão desse importante assunto.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Cavalos de Tróia

Cavalos de Tróia:
Avivamentos Falsificados, Igreja Emergente, e Movimentos Nova Espiritualidade

Seminário apresentado na "Geração de Jovens para Cristo" (GYC)
em Louisville, Kentucky, de 30/12/2009 a 03/01/2010

© Samuel Koranteng Pipim, PhD

Introdução

Você já ouviu falar de algum dos seguintes termos: Caminhadas de oração e guerreiros de oração; o labirinto de oração; yoga cristã; disciplina espiritual e formação espiritual; o silêncio e os espaços sagrados de meditação; oração contemplativa; oração centrante; oração de respiração e oração de Jesus?

Bem vindo à nova era de espiritualidade mística - e seus muitos modos de se encontrar com Deus. Estes métodos estão sendo criados em igrejas cristãs, organizações de juventude, e instituições educacionais. Essas novas maneiras de ser "espiritual" poderiam, na verdade, ser o espiritismo à moda antiga, disfarçado em roupas novas?

Será que estamos sinceramente equivocados a respeito dos "encontros com Deus" da atualidade e outras tentativas de alcançar níveis mais altos de espiritualidade? Estas coisas poderiam estas coisas ser "o Ômega" de heresias mortais? Fique informado - e alertado - sobre os novos cavalos de Tróia que estão sendo empurrados para dentro de nossas igrejas.

Tópicos:

- Parte 1 - O Verdadeiro Avivamento: O Que É e O Que Não É

- Parte 2: A Verdadeira Espiritualidade: Caminho de Santidade

- Parte 3: Pós Modernismo e a Igreja Emergente

- Parte 4: Espiritualidade Contemplativa e Seus Muitos Caminhos Para Encontrar a Deus

- Parte 5: Guerreiros de Oração, Caminhadas de Oração e Ofensivas de Oração

- Parte 6. Futuro Antigo: Qual o Caminho para o Renascimento e Espiritualidade?

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Reflexões Sobre Adoração e Música

Autor: Pr. Stephen Bohr
Endereço para o texto completo: http://www.musicaeadoracao.com.br/artigos/meio/reflexoes.htm

Resumo:
O autor, um pregador e conferencista conceituado, foi convidado a participar de um congresso. Mas ao levantar-se para pregar, não conseguia fazê-lo porque o serviço de cânticos que o precedeu e que havia durado mais de uma hora, tinha excitado de tal forma os jovens presentes que eles não tinham condições de prestar atenção à mensagem que estava sendo pregada!

A partir daí, o autor faz uma análise do acontecido, à luz das instruções dadas por Ellen White sobre o assunto e aponta várias sugestões que podem levar a igreja a manter alguns princípios nesta área.

Destaques:
"Quando voltei ao meu quarto nessa noite, o meu ânimo estava em baixo. Perguntei a mim próprio: "É este o tipo de culto de adoração que agrada a Deus? É este o método pelo qual os anjos adoram? Estava Ellen White errada quando afirmou que a música no céu é melodiosa e harmoniosa como o canto dos pássaros? É este o tipo de música que devia acompanhar a proclamação na nossa precisa mensagem da verdade presente? Este estilo de adoração prepara a nossa juventude para uma maior experiência no céu?" Eu caí de joelhos e orei para que o Senhor tocasse o coração dos líderes e lhes desse discernimento espiritual."

"Ouvi alguns pastores dizerem que Ellen White apenas condenou a heresia da carne santa e não o estilo de adoração e a música. Mas não é o caso. Ela condenou, sim, a heresia da carne santa. Mas ela também estava muito preocupada porque a música apelava aos sentidos e emoções enquanto distraía da solene mensagem do tempo do fim que Deus tinha comissionado ao Seu povo."

"Há atualmente um movimento crescente que procura levar-nos de volta à nossa mensagem e missão, da qual temos estado há tantos anos distraídos. Há um despertamento! As gotas de chuva do Espírito de Deus predizem as chuvas de bênçãos pelas quais todos temos esperado, trabalhado e orado."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br