terça-feira, 30 de agosto de 2011

CD Jovem : Cultura de Massa na Igreja Adventista do Sétimo Dia?

Autor: Rodrigo de Galiza Barbosa

Endereço para o texto completo:http://www.musicaeadoracao.com.br/crescimento/cd_jovem/index.htm

Resumo:

Recentemente as músicas cristãs oferecidas ao público jovem e evangélico têm sofrido uma influência existencialista. Uma das possíveis causa dessa influência é a apropriação dos recursos da cultura de massa para divulgar suas mensagens. Nesse meio, as músicas são transformadas em meios de comunicação de massa e sofrem uma simplificação de seu conteúdo apelando para o aspecto emocional em detrimento da razão. Essa é uma das características da cultura de massa que coaduna com o paradigma existencialista. Essa simplificação da mensagem causa uma desescatologização da mensagem bíblica. Como a Igreja Adventista do Sétimo Dia é um movimento escatológico e jovem, no Brasil, é importante saber se sua produção musical jovem mais importante, o CD Jovem, tem sido influenciado. Pois isso poderia resultar na perda de sua identidade, ao tentar ser relevante a sociedade jovem pós-moderna.

O material que estamos apresentando é um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do curso de Teologia do Unasp, Campus Engenheiro Coelho, SP. Este trabalho foi apresentado em dezembro de 2008, tendo como orientador o Pr. e Prof. Vanderlei Dorneles, Ms.

Destaques:

"Em meio a essa mudança de paradigma religioso, a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) enfatiza em sua mensagem o futuro, com o evento da volta de Jesus. Ao seguirem princípios influenciados pela Reforma, os adventistas apontam a Bíblia e a razão como determinantes da religiosidade. Por isso, sua ênfase no estudo e na reflexão. Mas nos últimos anos a Igreja Adventista se apropriou de outros meios de comunicação para tentar propagar sua mensagem, além dos livros e lições de estudos bíblicos (com o apelo a razão, textual), programas televisivos, rádios e uma forte produção musical (recursos audiovisuais) têm sido utilizadas para tal fim. Nesse último apontado, destaca-se a coletânea de músicas jovem, produzida anualmente, que se tornou padrão nos cultos direcionados ao público jovem. Como produto industrial ele faz parte da cultura de massa que tem a característica de simplificar a mensagem para se adequar ao meio mercadológico. Tendo assim a possibilidade de tornar sua mensagem existencial-desescatológica, como o neopentecostalismo, em contraste com a crença adventista essencial-escatológica. Surgem então alguns problemas."

"A mídia usada pela igreja cristã a tem tornado mais secular, justamente o oposto de seu propósito. Estudos como o de Oliveira e Pires (2005), Klein (2006a) e Contrera (2006) mostram que o cristianismo ao se entregar ao uso da mídia de massa tem se tornado super-emotivo, existencial e mundano. Isso é uma descaracterização do cristianismo, ou seja, ao invés da igreja modificar os padrões seculares, o mundo é que tem modificado a igreja. E os adventistas do sétimo dia também têm enfrentado essa nova onda da religiosidade pós-moderna que tem secularizado o sagrado."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Livro - No Templo Cristão

Autor: Diversos (Organizado por Profa. Jenise Torres)
Endereço para leitura e/ou download: http://www.musicaeadoracao.com.br/livros/index.htm


Apresentação
por: Pr. Horne Pereira da Silva

Como nunca antes a música na Igreja está sob o risco de ser secularizada em vários níveis; e as lideranças das Igrejas parecem estar apenas observando os acontecimentos, parecem estar consentindo com a ideia de igualar o sagrado com o profano.

Parece que as lideranças das Igrejas estão em competição com o mundo no que diz respeito a conquistar mais público e, por causa disso, argumentam que toda e qualquer abordagem é válida para alcançar as pessoas onde elas estão. Porém é sempre importante relembrar que a missão da Igreja é trazer as pessoas para o redil do Senhor, de acordo com as diretrizes dEle.

O anjo de luz que se transformou em Satanás permanece sendo, abaixo do Criador, o conhecedor máximo da sutil influência que a música tem sobre as criaturas. Aos poucos, ele está desvirtuando a adoração ao Criador em idolatria de pessoas. Aos poucos, ele está transformando as igrejas em palcos de "shows" para ele ser veladamente cultuado.

Mas o Criador sempre demonstrou Seu amor pelos seres criados à Sua semelhança, atuando através de pessoas realmente preocupadas com o crescimento espiritual de Suas criaturas. É o caso da organizadora desta coletânea, a senhora Jenise Torres, professora, graduada em Letras e em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-graduada em Tecnologia Educacional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Em parceria com o produtor musical Elias Reis de Azevedo, graduado em Teologia, e proprietário da cinquentenária gravadora GBM em São Paulo, nos oferecem uma séria pesquisa de muito boa qualidade para nossas reflexões sobre a música no templo cristão.

Peço ao nosso Deus que abençoe este trabalho, a fim de que ele seja útil para aquelas pessoas sinceramente interessadas em encontrar a maneira de transformar as "igrejas-auditórios" em igrejas-santuários do Criador.


O pr. Horne Pereira da Silva é "Doctor of Ministry" pela Andrews University (Michigan, USA). Pastor, escritor e professor em cursos de graduação em teologia.


Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

O Domínio da Mente no Cristianismo Através da Música

Autor: Glauber Souza Araujo
Endereço para o texto completo: http://www.musicaeadoracao.com.br/efeitos/corpo_mente/dominio_cristianismo.htm

Resumo:
Algumas pessoas menos informadas podem supor, a partir de uma análise apressada do título, que o presente artigo seja uma "teoria da conspiração" ou coisa parecida. Porém, adiantamos que este artigo é um trabalho acadêmico, sendo que o autor é Mestrando em Ciências da Religião.

O artigo faz uma análise inicial das técnicasusadas por psicólogos paralevar seus pacientes a estados de alta excitação. Em seguida, concentra-se nos estados de êxtase encontrados nos cultos religiosos, de diversas crenças. Neste ponto, amúsica é introduzida como veículo apropriado para induzir os praticantes destes ritos a alcançar o desejado estado de excitabilidade. Tendo feito esta análise o autor se volta para o cristianismo, comprovando que a mesma metodologia é empregada largamente nos meios cristãos.

Destaques:
O êxtase não é um fenômeno que acontece apenas no meio "secular". Ele também é experimentando no âmbito religioso. Assim sendo, nos interessa especialmente a interpretação de Mendonça (1997, p. 150) acerca deste fenômeno: "O êxtase pode ser definido como um estado de consciência alterado, com maior ou menor intensidade, e que se caracteriza pela passagem que o individuo sofre de uma realidade para outra. Na maior parte das vezes o êxtase é procurado pelos indivíduos, especialmente nas práticas religiosas em que é valorizado como canal de comunicação com o sagrado".

Quero salientar mais uma vez que, sempre quando os seres humanos, mesmo nas sociedades mais evoluídas, são impelidos a dançar sob-ritmos possantes e repetitivos, suscita-se uma atmosfera de sugestionabilidade aumentada que libera tensões acumuladas, ódios e outras emoções dos participantes. As crenças em líderes religiosos ou políticos ou sociais podem ser fortalecias, ou também eliminadas para serem substituídas por alguma crença diferente, dependendo do comportamento e dos propósitos daqueles que controlam os acontecimentos.

Podemos afirmar que, apesar do êxtase religioso não ser frequente entre cristãos como o é em religiões afro, sendo às vezes até condenado, nos últimos tempos, tem se tornado mais frequente, especialmente em igrejas que valorizam o louvor carismático. A música, mais uma vez, é um dos métodos mais utilizados para alcançar o êxtase (MEDONÇA, p. 150). Esse fenômeno pode ser facilmente observado em ambientes pentecostais.

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br

terça-feira, 16 de agosto de 2011

"Fiz-me Fraco Para com os Fracos" - Até Que Ponto?

Autor: Leonardo Bruno Galdino
Endereço para o texto completo: http://www.musicaeadoracao.com.br/crescimento/fraco_fracos.htm

Resumo:
Um grupo de evangélicos de São Paulo decide sair no carnaval, animado por uma escola de samba carioca. Para racionalizar seus atos, utilizam o texto de Paulo, em I Coríntios 9:22, que diz: "Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns."

Será que este texto realmente nos autoriza a utilizar os métodos e a linguagem do mundo para aumentarmos o números dos membros de nossas igrejas? Sair em um desfile de carnaval seria uma estratégia evangelística apropriada?

Destaques:
"Como se não bastasse, Paulo ainda teve que sofrer adaptações culturais. Ele mesmo disse que "sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível" (I Coríntios 9:19). O que será que o apóstolo estava querendo transmitir com essa intrigante afirmação? Penso que aqui reside o cerne do problema hermenêutico."

"Notamos aqui que Paulo em momento algum negocia sua teologia a fim de parecer "politicamente correto". Muito embora ele tenha lançado mão de pensamentos dos próprios filósofos gregos para realçar seu argumento (…), ele não usou seu amplo conhecimento cultural como um fim em si mesmo."

"Dou graças a Deus pelo contexto! É por intermédio dele que eu posso identificar quais eram as intenções originais dos autores bíblicos aos seus destinatários. Sem essa percepção não pode haver uma correta interpretação da Bíblia."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A Adoração Segundo Paulo

Autor: Levi de Paula Tavares
Endereço para o texto completo:http://www.musicaeadoracao.com.br/artigos/adoracao/adoracao_paulo.htm

Resumo:
A polêmica em torno dos elementos apropriados à verdadeira adoração tem levado alguns a defender que, quando alguém escolhe alguma coisa para Deus em seu coração, esta coisa se torna "santa" e, portanto, pode e deve ser usada na adoração, sem qualquer possibilidade de julgamento por parte de outros.

Estas pessoas utilizam o seguinte texto para justificar seu pensamento: "Para os puros, todas as coisas são puras; mas para os impuros e descrentes, nada é puro."(Tito 1:15)

O artigo busca analisar este argumento, procurando chegar aos fundamentos do pensamento de Paulo a respeito da adoração, aplicando-os para a nossa atualidade.

Destaques:
"Mesmo a lógica não dá apoio a este ponto de vista, pois significaria dizer que se algo separado pelo ser humano deve ser aceito como santo, segue-se que a autoridade para santificar algo seria humana, e não divina, o que é um absurdo."

"O ponto que deve ser destacado nesta análise é que neste trecho Paulonãoestá falando do que é apropriado ou não na adoração. Porém, o grande apóstolo dos gentios não nos deixa sem instrução inspirada nesta área. Assim sendo, precisamos analisar os princípios defendidos por Paulo, com relação à adoração, para então fazermos uma comparação correta de seus argumentos a este respeito com os princípios legados do Antigo Testamento."

"Apesar de vivermos imersos em um determinado contexto sociocultural, devemos buscar em nossos cultos de adoração um equilíbrio entre os elementos espirituais, intelectuais e emocionais. Nunca devemos nos esquecer que o propósito dos dons na igreja é a edificação espiritual do corpo de crentes, não nosso próprio deleite carnal ou o entretenimento das massas."

Artigos, documentos, entrevistas e livros sobre música sacra
Visite e divulgue: http://www.musicaeadoracao.com.br